terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Eu Acredito em Deus?

Eu decidi escrever este texto depois de receber alguns tweets de um colega de Internet e eu reparei que ele é muito parecido como eu era a algum tempo atrás. Ele tem uma crença inabalável na não existência de Deus, mas eu acho que acreditar ou não acreditar em Deus depende do "conceito de Deus" (meu ex-professor de lógica ia adorar isso)

Eu acredito em Deus?

"NÃO" é a primeira e mais provável resposta que eu daria se me perguntassem isso.

"SIM" é a resposta que eu daria na minoria das vezes.

A minha resposta depende quem você é, e no que você acredita. Isso quer dizer que eu não tenho opinião? Não é bem isso. Eu preciso responder à pergunta que me foi feita.

Eu diria não se você me perguntasse se eu acredito no Deus Pessoa, aquele que criou o mundo em 7 dias e que tem vontades pessoais, que aplica punições, que decide se você vai pro Céu ou pro Inferno, aquele que pode ser personificado, que pode ter uma imagem. Que até tem boca, olhos e cabelos. A resposta é NÃO. Se isso é Deus para você, então me considere ateu.

Se Deus para você é aquilo que existe, sempre existiu e sempre existirá. É aquilo que já existia antes de existir a matéria, aquilo que deu origem ao Universo, aquilo que é a ligação entre todas as coisas existentes. Aquilo que está além da nossa compreensão. A mente primordial, então a resposta é SIM.

Eu entendo que as religiões existentes na Terra neste momento, na maioria, deturparam o sentido do que seria Deus. Eles (pessoas) dão a interpretação que querem a textos antigos e as pessoas aceitam sem questionar. E até quem questiona a existencia de Deus usa a mesma interpretação que essas pessoas fornecem. As pessoas que divulgam esse conceito de Deus, no geral, são pessoas pouco esclarecidas em relação ao assunto.

Eu já fui fervorosamente ateu, até me deparar com um conceito que eu não conhecia. Minha opinião se baseava em um conceito que eu havia recebido de minha família, professores e amigos. Aquele conceito era insustentável, cheio de contradições e me deixava irritado. Queriam (insconscientemente) me empurrar goela abaixo, mas minha mãe e meu pai (também insconscientemente), me deixaram escolher meu caminho.

O conceito do TODO me pareceu sustentável, me pareceu lógico. E eu tive trabalho para tirar aquela fervorosidade de dentro de mim para depois começar a analisar um novo conceito para ver se eu o aceitaria ou não. Ir contra o pensamento formado que eu tinha foi o mais difícil.

E ai, você acredita em Deus?