segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Esforço

A quatidade de esforço que você faz, determina necessáriamente o quão bem sucedido você será na vida? Não necessáriamente. Você pode ter um dom, pode ter sorte ou muitas outras coisas, mas se isso não funcionar, o quanto você se esforça será, com certeza, um bom indicador para o resltado final de sua existência.

Dinheiro não é necessariamente medida de sucesso. Algumas pessoas ganham pouco e são muito felizes. Outras, nem mesmo têm salário, vivem no mato e são felizes. E este papo não é obrigatóriamente sobre dinheiro, mas sobre objetivos.

O fato é: normalmente, as pessoas não se esforçam o suficiente para alcançar seus objetivos no dia a dia e quando estão com a corda no pescoço, correm, correm, correm e param de correr quando a corda afrouxa um pouquinho. Perto do abismo todos se esforçam como loucos.

Esses seres não entendem que poderiam ter evitado essa situação se mantivessem um nível de determinação um pouco maior no dia a dia, mas o normal é que nos acomodemos.

Se nos esforçarmos um pouco mais a cada dia de nossa vida, não teremos que nos matar em alguns meses. Teremos muito menos problemas durante a vida. Tudo terá uma solução mais simples. Não é tão difícil ver isso.

Não vejo problema em ser preguiçoso, em querer ficar em casa fazendo pouco e ter poucos bens materiais. Não tem problema mesmo. O que não vale é reclamar de não ter nada, quando nada se faz para mudar a situação.

Novamente, dinheiro não é necessariamente a questão: Por exemplo: de que adianta eu reclamar que estou gordo e continuar a comer muito e não fazer exercícios? Não vejo problema em comer muito e estar acima do peso. Pode ser uma escolha da pessoa. Se ela se sente bem, o problema é dela. Mas e se ela não quer ser assim? Porque não se esforça para mudar? Não adianta correr durante um mês e comer muito durante 11.

As vezes, o problema são exemplos que aprendemos durante a juventude, de pessoas próximas a nós e mais tarde, lá no meio, ou no final de nossa existência, vamos nos dar conta que perdemos não só uma, mas várias oportunidades.