quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Na Luta Contra o Aborto? Já Pensou em Facilitar a Adoção?

Vejo muita gente tentando dificultar ainda mais a questão do aborto no Brasil. Abortos acontecem a todo momento, em muito maior número do que imaginamos e essas pessoas imaginam que uma legislação mais dura irá resolver o problema, mas solução pode estar do outro lado, incentivando e melhorando o processo de adoção. Se você não quer fetos morrendo, lute para facilitar a adoção.

Temos legislação para punir todos os tipos de crime no Brasil, mas os crimes continuam acontecendo sem parar e bandidos continuam livres. É quase impossível contar a quantidade de notícias que demonstram reincidência em assaltos, assassinatos e coisas assim. É inocência achar que uma lei mais dura vai impedir mulheres desesperadas de abortarem.

Quem aborta, não o faz por diversão, mas por algum tipo de desespero. Imagino que o mais normal seja o medo de cuidar e educar uma criança. Medo de perder parte da sua vida fazendo isso, ou uma impossibilidade financeira. Já existem leis para impedir a prática, mas continua acontecendo. O processo é sinistro e cheio de riscos. Os procedimentos incluem remédios sem acompanhamento médico ou cirurgias clandestinas, que podem fazer muito mal à mulher.

Imaginem se essas mulheres pudessem colocar os filhos para adoção antes mesmo do nascimento, se elas tivessem garantias de que não precisarão cuidar das crianças, mas que alguém irá cuidar. Hoje, isso é simplesmente impossível. Leva anos até que uma criança possa ser adotada e quem quer "doar" também enfrenta problemas.

Conheço muitos que desejam adotar filhos, até mesmo pessoas que adotaram e não conseguem regularizar a situação. O país conta com um sistema imbecil, onde os candidatos a pai e mãe esperam por anos até conseguirem uma oportunidade e enquanto isso, os meninos e meninas vão crescendo em orfanatos precários e se tornam cada mais "inadotáveis" por causa da idade, educação e costumes.

Minha proposta é: Se você luta contra a legalização do aborto, pense bem e lute por uma solução mais efetiva. Esforce-se para que seja fácil adotar um filho. Faça lobby para uma lei diferente. Se as igrejas se juntassem para isso, encontrariam apoio de parte muito maior da população e as resistências seriam mínimas.

Se cada hospital tivesse uma lista local e as pessoas pudessem entrar em uma fila pequena, avaliar a mãe antes do bebê nascer, saber o sexo do feto e talvez, até mesmo pagar pelo parto com seu plano de saúde, a quantidade de abortos seria muito menor.