terça-feira, 8 de novembro de 2011

Válvula de escape

Para quem detesta português (a materia escolar), até que eu escrevo bastante. Escrevo muito mesmo e acho que entendo porque. Antes eu escrevia muito menos. Já que eu falava muito mais.

Demorei para perceber que falar adianta muito pouco, porque as pessoas não ouvem. A fala quase sempre é direcionada a alguém, então se torna pessoal e daí vem a resistência, ofensa e mais um monte de coisas. Então, para que falar?

Quando parei de falar percebi que minha valvula de escape estava fechada e ela sempre explodia. Parecia um vulcão que devastava tudo ao redor. Depois de sofrer muito com isso, meio que sem querer, desandei a escrever assuntos aleatórios, mas logo percebi que esses tópicos são tudo, menos aleatórios. A escrita é melhor forma de aliviar a pressão, dá vazão a todos os pensamentos e nada se torna pessoal a menos que o nome de alguém esteja escrito.