sábado, 17 de julho de 2010

O Caminho

Como Morpheus disse para Neo, "existe uma diferença entre conhecer o caminho e percorrer o caminho" e essa diferença determina onde nossa vida vai chegar.

Passei por isso em parte da minha vida. Eu sabia que caminho seguir, mas não sabia como segui-lo. As coisas sempre me puxavam de volta para o caminho antigo. Isso se chama condicionamento. Eu estava condicionado. Só que fui eu mesmo quem me condicionei. Talvez tenha sido a sociedade, mas foi com o meu consentimento. Eu permiti.

Quantas foram as vezes que eu percebi que o caminho estava errado, tomei a decisão de seguir por outro lado, mas não fiquei lá por muito tempo? Sem que eu percebesse, ia aos poucos pegando uma rota alternativa que me deixava de volta no primeiro caminho.

A solução? Não é simples, mas você pode começar no novo caminho a cada dia. Se você não acha que aguenta uma mudança radical em sua vida, pegue o caminho alternativo que leva do primeiro e pior caminho para o segundo e melhor, mesmo que demore, funciona. Escolha uma coisa boa para mudar, consolide isso em você, depois escolha outra e assim vai.

E quanto tem uma pedra no caminho? Bom, as vezes conseguimos contornar ou passar pro cima. No meu caminho tinha uma chamada orgulho. Eu não precisei dinamitá-la, consegui dar a volta, mas as vezes, é preciso dinamite, ou C4 para mandar a pedra para o espaço.

Eu não precisei trocar de vida, nem de emprego, nem de companheira, nem de carro, nem de casa, nem de família, mas precisei trocar de atitude e acredite, trocar de atitude é mais difícil do que trocar todo o resto.

Para seguir o outro caminho, você precisa trocar de atitude. Quando você troca a atitude, fica mais fácil enxergar o que está errado e assim você não troca o que não precisa. Já pensou se você troca de carro e descobre anos depois que o problema é o motorista?